Até que ponto pessoas vacinadas devem ficar preocupadas em contrair Covid-19

Vacinas disponíveis não protegem 100% contra infecção, mas evitam hospitalização e morte na grande maioria dos casos

As infecções por coronavírus estão aumentando novamente nos Estados Unidos. Embora mais de 99% das mortes ocorram entre os não vacinados, abundam os relatos anedóticos de infecções inesperadas ou casos de pessoas totalmente vacinadas que ainda apresentam resultado positivo para Covid-19 – incluindo vários jogadores de beisebol do New York Yankee.

Quão preocupadas as pessoas vacinadas devem ficar em contrair Covid-19? Se você for vacinado, ainda será capaz de transmitir o coronavírus a outras pessoas, como crianças muito novas para serem vacinadas? A variante Delta mais transmissível muda a equação e que precauções as pessoas vacinadas ainda devem tomar?

Para nos dar alguma orientação durante esses tempos de incerteza, recorremos à analista médica da CNN, Dra. Leana Wen. Wen é médica de emergência e professora visitante de política e gestão de saúde na Escola de Saúde Pública do Instituto Milken da Universidade George Washington. Ela também é autora de um novo livro: “Lifelines: a jornada do médico na luta pela saúde pública” (em tradução livre).

CNN: As pessoas vacinadas podem ser infectadas com Covid-19?

Dra. Leana Wen: Sim, elas podem. Aqui está o que as vacinas contra Covid-19 fazem. Em primeiro lugar, e mais importante, eles protegem você muito bem contra doenças graves. Essa é a chave. Esta é uma doença que ceifou a vida de mais de 600.000 americanos e milhões de pessoas em todo o mundo. Se você tomar a vacina, sabe que é muito improvável que fique gravemente doente a ponto de precisar ser hospitalizado ou sucumbir à doença. De acordo com autoridades federais de saúde, 99,5% das mortes causadas pela Covid-19 estão agora entre os não vacinados. Essa é uma verdadeira prova do poder das vacinas.

As vacinas também protegem contra o adoecimento por Covid-19, mas essa proteção não é 100%. Com a variante Delta, as vacinas podem ser ainda menos eficazes contra doenças leves – embora ainda sejam eficazes contra doenças graves.

Isso significa que infecções em pessoas não vacinadas- ou infecções em pessoas totalmente vacinadas – podem acontecer e acontecem.

CNN: Faz diferença se você está em uma comunidade com muitas infecções? É mais provável que você pegue uma infecção invasiva?

Wen: Sim, e é por isso que importa o que está acontecendo ao seu redor, mesmo que você esteja totalmente vacinado. O risco é aditivo. A vacina protege bem você, mas se você estiver constantemente exposto a pessoas portadoras do coronavírus, em algum momento poderá ter uma infecção.

Já usei a analogia antes de uma capa de chuva. A vacina é uma excelente capa de chuva. Se você estiver na garoa ocasional, provavelmente ficará bem. Mas se você estiver indo de tempestade em tempestade, em algum momento, você pode se molhar.

É também por isso que devemos ver a vacinação não apenas como uma escolha individual. Mesmo que você tenha sido vacinado, é importante que outras pessoas ao seu redor também sejam vacinadas.

CNN: Nós sabemos quão comuns são as infecções invasivas ou se as pessoas que são vacinadas, mas são infectadas, são capazes de se transmitir a outras?

Wen: Essas são perguntas realmente importantes e, infelizmente, não sabemos as respostas. Em maio, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos decidiram interromper o rastreamento de infecções moderadas. Eles estão relatando apenas casos de infecções graves o suficiente para resultar em hospitalização e morte. Muitos de nós na saúde pública argumentamos que também precisamos conhecer os dados sobre infecções moderadas. É importante saber com que frequência isso ocorre e entre quem. Por exemplo, eles são mais comuns em indivíduos mais velhos e com sistemas imunológicos comprometidos, sugerindo que esses indivíduos podem precisar de uma dose de reforço mais cedo? Elas aumentam em frequência até certo ponto após a vacinação e são mais comuns com uma determinada vacina em comparação com outra? As pessoas com infecções disruptivas desenvolvem Covid longa?

Outra questão importante é se as pessoas com infecções invasivas são capazes de transmitir Covid-19 e infectar outras pessoas. Estudos anteriores descobriram que a vacinação também reduz substancialmente a quantidade de vírus que uma pessoa exposta ao Covid-19 carregaria. Que mesmo que tenham teste positivo ou desenvolvam sintomas leves, é improvável que infectem outras pessoas. No entanto, esses estudos foram feitos antes que a variante Delta se tornasse a forma dominante do vírus nos EUA – o CDC relatou que 83% dos casos nos EUA agora são devidos à Delta.

Outra pesquisa descobriu que os não vacinados infectados com a variante Delta carregam 1.000 vezes a quantidade de vírus do que as pessoas com a variante original. Isso põe em questão o que acontece se alguém for vacinado, mas infectado com a variante Delta. Nós simplesmente não sabemos, neste momento, qual a probabilidade de uma pessoa vacinada com uma infecção disruptiva devido à variante Delta pode contagiar os outros.

CNN: As incógnitas em torno da variante Delta mudam suas recomendações para pessoas vacinadas que interagem com outras?

Wen: Eu teria muita cautela até que tenhamos mais dados. Uma pessoa vacinada perto de outras pessoas totalmente vacinadas é provavelmente muito segura e não precisaria de precauções como uso de máscara e distanciamento. Por outro lado, uma pessoa vacinada que está constantemente exposta a pessoas não vacinadas, em ambientes fechados e lotados, onde ninguém usa máscaras, pode se infectar. E mesmo que não apresente sintomas, definitivamente existe a possibilidade de que possa ser portadora do vírus e infectar outras pessoas.

Até que saibamos mais sobre se os vacinados que contraem a variante Delta poderiam transmiti-la a outras pessoas, eu recomendaria que as pessoas fossem cautelosas se morarem em casa com parentes não vacinados ou imunocomprometidos. Eles devem considerar o uso de máscaras em espaços fechados, como supermercados, e tentar evitar ambientes de alto risco, como bares lotados, onde outras pessoas ao seu redor não estão usando máscaras e têm status de vacinação desconhecido.

CNN: Para ser claro, você ainda recomendaria as vacinas?

Wen: Com certeza. A coisa mais importante que as vacinas contra Covid-19 faz é proteger contra hospitalização e morte. Elas provaram ser extremamente eficazes nisso, mesmo com a variante Delta. São esperadas infecções de emergência, e quanto mais infecções ocorrerem entre os não vacinados, mais infecções haverá entre os vacinados.

A chave para deter a pandemia é atingirmos um nível de imunidade alto o suficiente para que o vírus não tenha para onde ir. Podemos chegar lá – mas todos nós temos que fazer a nossa parte e ser vacinados. A vacinação protege o indivíduo e também protege outras pessoas ao seu redor.

Deixe uma resposta