Máscaras transparentes permitem a inclusão e mais eficiência na prevenção

Infectologistas recomendam distanciamento e o uso de máscaras mais resistentes com a variação do vírus, mesmo com a chegada da vacina

 

Pensando na necessidade de inclusão e acolhimento de um público estimado em 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva, segundo um estudo feito em conjunto pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda, o Instituto Humanus desenvolveu as máscaras transparentes “Transparent Mask” facilitando a leitura da expressão facial e labial a fim de proporcionar as mesmas oportunidades de comunicação e informação no combate ao coronavírus, pois além de enfrentar dificuldades em suas atividades de trabalho e lazer, tiveram a sua comunicação prejudicada por conta da recomendação do uso de máscaras de tecido ou TNT.

Com foco em criar soluções para o público da Diversidade Assistiva, em parceria com um dos seus associados, as máscaras foram desenvolvidas dentro conceito do “design universal” que busca soluções que atendam todas as necessidades, para todos os públicos. As máscaras protegem narinas e boca contra poluição, germes, fungos, bactérias e o coronavírus, principalmente dessa nova variante detectada e que tem levado médicos e especialistas a recomendarem o uso de material mais resistente que o tecido.

Desenvolvidas em PVC especial ou PET, são resistentes a impactos e possuem filtros de tecido TNT (tecido não tecido) com micropartículas de carvão ativado e óxido de prata capaz de desestabilizar e inativar o vírus.

Por sua funcionalidade, também atendem pessoas alérgicas ou asmáticas, pois não pressionam as narinas e podem ser higienizadas a cada duas horas, otimizando o tempo e facilitando os cuidados com a higienização recomendada a cada duas horas. O seu fácil ajuste permite a utilização de óculos, sem embaçar. O material transparente e leve proporciona maior amplitude no campo de visão, além de devolver a  autoestima, pois possibilitam a utilização de maquiagem e a identificação facial.

Proporcionar acessibilidade e integração, essa foi a inspiração do presidente do Instituto, Rodolfo Sonnewend, que após um acidente que o deixou com limitações em sua rotina diária, vivenciou as limitações de acessibilidade e decidiu dedicar-se a criações que contemplem todo os tipos de necessidades, nas suas mais variadas formas .  “As máscaras nasceram após os relatos de uma profissional liberal que viu impedida a sua comunicação com os clientes que jamais haviam percebido a sua deficiência auditiva. Como já havia sentido na pele as dificuldades que essa parcela enfrenta, me veio inspiração em criar uma solução que atendesse a qualquer necessidade e ainda incentivasse a adesão à campanha de prevenção”, comenta Rofolfo.

Com design futurista, as máscaras conquistaram o ex-candidato à prefeitura da cidade de São Paulo Celso Russomano, as cantoras Maria Gadu, Anitta e fazem parte do novo clip musical “Frequente(mente)” de Chameleo & Pabllo Vittar. Também inspiraram a mudança de tema da próxima novela Global das 19h, e já estão nos rostos dos protagonistas Mateus Solano e Valentina Herszage.

As mascaras podem ser adquiridas através da Loja da Criatividade (www.lojadacriatividade.com.br) onde parte das vendas são revertidas em doações para instituições.

Deixe uma resposta