Sua máscara para CPAP tem causado desconforto? Veja algumas dicas!

A máscara para CPAP é a peça componente no tratamento da apneia do sono que, geralmente, traz muitas dúvidas desde a sua escolha até a fase de adaptação. Alguns usuários relatam problemas como alergias, irritações e até machucados. Em algumas situações, trocar pode ser a melhor solução, em outras, a forma de uso ou tamanho incorreto podem ser alguns dos entraves. Confira as dicas que separamos para você!

 

  1. Descubra qual é o problema!

O primeiro passo é descobrir o que está causando o desconforto. Você pode começar pelos sintomas, pois é por meio deles que poderá encontrar a solução.

Marcas no rosto – O problema mais comum é a marca que fica no rosto ao retirar a máscara para CPAP. Embora seja natural de acontecer, logo que acorda, as marcas podem ser mais intensas quando o ajuste da máscara está mais apertado que o necessário. O ideal é manter o ajuste firme, sem apertar tanto ou deixar muito largo.

Lesões e feridas – Lesões na ponte nasal ou na base das narinas acontecem com a tensão que a máscara que está fazendo sobre a região afetada. Nesse caso, o usuário precisa se certificar de que o ajuste do suporte de testa está ideal. O suporte de testa é um acessório que permite ajustar a inclinação da máscara em relação a face, aliviando a tensão em alguns pontos do rosto.

Vermelhidão na pele – A vermelhidão é um sinal de alerta, pois ela pode indicar que a máscara está extremamente apertada no rosto, além de reação alérgica. Apertar a máscara no rosto, ao máximo, não vai garantir a vedação, apenas causará hematomas e prejudicará o conforto. Mas se a pele estiver com aparência de queimadura, o ideal é suspender o uso da máscara para CPAP e consultar o dermatologista.

Sensação de inchaço – O rosto inchado após usar a máscara indica que você está deitando em uma posição em que a máscara fica pressionando o rosto. Isso pode acontecer de maneira involuntária, pois é extremamente natural mudar de posição durante o sono. Nesse caso, a solução é aderir a um travesseiro específico para tratamento da apneia do sono.

Vazamento – Encontrar um ajuste ideal pode ser um desafio nos primeiros dias. O vazamento é um problema recorrente que demanda persistência, pois pode levar algum tempo até que encontre o ajuste correto para o rosto. Se você já tentou muitos ajustes e não solucionou o vazamento, é bem provável que o tamanho esteja inadequado, então a solução é conferir se está usando o correto para o seu rosto.

Coceira e queimação – Esses sintomas indicam logo que é reação alérgica ao material da máscara utilizado. Aqui, existem duas soluções: suspender o uso imediatamente e levar o quadro ao médico que faz acompanhamento do tratamento da apneia do sono; ou trocar de máscara por uma com material e composição diferente da que está usando.

Sangramento nasal – Embora seja uma situação rara, existem pessoas que começam usar o CPAP para tratamento da apneia do sono, mas sempre acordam com sangramento nasal. Em casos como este, o problema está relacionado ao uso do CPAP e não especificamente à máscara. Portanto, trocar ou comprar um outro produto não vai resolver o problema, pois está relacionado a uma reação negativa do organismo. O usuário deve suspender o uso e levar ao conhecimento do médico especialista que faz acompanhamento.

Solução para reação alérgica à máscara para CPAP

A composição do silicone é basicamente a mesma para todas as máscaras e, por isso, já foi disponibilizado no mercado a máscara com camada em espuma viscoelastica, que proporciona vedação e conforto, além de diminuir o atrito do contato do silicone com a pele, o que seria a solução ideal para quem sofre com esse problema no tratamento da apneia do sono. As pessoas com pele mais sensível e suscetível a lesões também podem aderir ao uso desse tipo de máscara.

mascara-cpap-silicone

  1. Qual é a máscara para CPAP ideal para você?

O desconforto também pode ser causado pelo tipo de pele ou por características individuais. Os usuários que têm a pele oleosa, por exemplo, precisam optar por uma máscara de silicone, pois ela possui uma aderência melhor para esse tipo de pele.

Já quem possui a pele mais seca e sensível pode optar por uma máscara de gel ou modelos com menos contato com o rosto, que proporcionam mais conforto e reduzem as marcas que podem aparecer. A máscara de gel também é indicada para quem tem barba ou bigode, pois o material contém uma tecnologia inteligente que acompanha sutilmente o formato do rosto, proporcionando vedação em poucos ajustes.

Invista em uma máscara confortável, escolhida de acordo com as suas características faciais e com a pressão de tratamento. A AirTouch, por exemplo, garante o conforto do usuário por conta de uma camada de espuma viscoelástica, em vez das bordas tradicionais de silicone, para que a máscara acomode sutilmente aos contornos faciais.

mascara-airtouch

Dicas da CPAPS!

Agora que já descobriu o motivo do incômodo e qual é a máscara mais indicada para você, adote alguns hábitos adicionais que te ajudarão:

  • Lave a máscara diariamente, seguindo as instruções do manual do usuário;
  • Lave o rosto antes de ir para a cama para remover o excesso de oleosidade facial;
  • Evite usar cremes faciais nos locais em que a máscara entra em contato com o rosto;
  • Examine a máscara para ver se há desgaste ou quebras e substitua a máscara ou as peças que estiverem gastas.

Na CPAPS você também encontra uma equipe de especialistas para te orientar via Chat Online ou por telefone, nos números 4007-2922 e 0800 601 9922. Conte com a gente!

Fonte: Aline Erika – fisioterapeuta – CREFITO – 8/192752-F

Deixe uma resposta