A Pandemia e os Obstáculos na Comunicação

Estamos em constante iminência para o surgimento de novos vírus e já discutimos a necessidade do uso constante das máscaras, como já é protocolo em alguns países, ao sinal de gripe. É preciso preservar a saúde e demonstrar solidariedade com o próximo. Mas esse pedaço de tecido que se mostra eficaz e essencial no protocolo de proteção e prevenção  tem  encontrado dificuldades em suas adequações. Alergia ao tecido e aos produtos utilizados para a esterilização, condição de mal estar, dificuldades de respiração, pouco campo de visão e, principalmente, dificuldades na comunicação são alguns dos desafios que precisam ser debatidos.

Precisamos deliberar sobre as necessidades de adequação para  oferecer bem-estar atrelado a proteção. A clareza da comunicação é necessária para permitir verificar a coerência entre o que foi dito e o que é mostrado.

Não podemos desprezar a necessidade de manter as expressões faciais e o ritmo e tom da nossa voz que compõem a linguagem não-verbal e tem um impacto muito maior do que as pessoas pensam. É através da linguagem não-verbal que criarmos relação e empatia com quem nos ouve e aumentarmos a nossa capacidade de influência.

Nestes tempos intermináveis de pandemia, onde os rostos estão completamente escondidos por detrás das mais variadas cores e formas de máscaras de tecido, precisamos preservar a  comunicação com a linguagem não-verbal.  Tudo isto poderá estar nos deixando cansados e fatigados em um mundo cada vez mais isolado e distante socialmente e é preciso atenção para sermos compreendidos. É preciso unir proteção e comunicação através de um produto que proporcione melhor clareza na voz, na visualização das expressões, dicção e, também, proporcionar a inclusão social.

Deixe uma resposta